Conhecer o artesanato

 

 

O artesanato é um conceito muito vasto e difícil de definir com exactidão, que além de compreender duas linhas orientadoras: o tradicional e o moderno, não deixa de ser essencialmente o próprio trabalho manual ou produção de um artesão.

A história do artesanato na Madeira tem inicio com a própria história do povo, porque a necessidade de produzir bens de primeira necessidade e de uso doméstico levou a que muita gente, olhasse para esse trabalho também como uma forma de sobrevivência que convidava à expressão criativa e única de apresentação de artigos artesanais.
A necessidade por exemplo, de fabrico de botas de vilão deveu-se ao facto de uma franja da população situada mais no interior da ilha, andar descalça e os barretes de orelhas traduziram-se numa peça de grande utilidade quando os pastores guardavam o gado na serra.
Com o passar dos anos procurou-se também uma certa dose de criatividade aliada à produção de peças novas. Surgiram novos conceitos e o design aliado à inovação, proporcionaram novos produtos sempre com o objectivo de ir de encontro a uma nova clientela, que se fidelizou neste tipo de artigos únicos. Esta procura é transversal a todas as áreas do artesanato.
Tradicionalmente, o artesanato é uma produção com carácter familiar e que em muitos casos os saberes são passados de pais para filhos.
Trabalha-se por regra em oficinas rudimentares na própria casa onde existem as diversas etapas da produção desde a preparação da matéria-prima até à produção dos artigos.
São diversas as actividades artesanais na Região desde os artigos elaborados com cana vieira e em madeira, empalhamento de objectos em vime, a cerâmica, a olaria, as botas de vilão, os embutidos, as bonecas de massa, as miniaturas de cestos do Monte e de casas de Santana, suportes para garrafas de licor, poncha e vinho Madeira, bonecas com trajes regionais, preparação e fiação de fibras têxteis, tapetes e artigos de vestuário, confecção dos barretes de orelhas, bonecas de palha de milho, os brinquinhos e outras. De um modo geral todos os artesãos impressionam pela dedicação, cuidado, execução e sensibilidade, que conferem às peças que produzem.
O artesanato é uma das grandes riquezas culturais de um povo que o distingue e o identifica de outros. É através das peças produzidas que os artesãos transmitem a genuinidade, a cultura, o folclore e a tradição das suas gentes e que não olhando para o lado economicista da profissão continuam a laborar nestas lides que quase já não são o suporte para o sustento da família.

A melhoria das condições de vida e de trabalho de todos os profissionais que divulgam o artesanato regional é a meta a atingir, na certeza de que o empenho e o sucesso na procura de um padrão elevado de qualidade dos produtos artesanais madeirenses passa obviamente pela necessidade de dignificar ainda mais os artesãos e por campanhas institucionais de promoção a nível nacional e também internacional, em feiras e outros eventos, possibilitando o intercâmbio entre culturas.